-->

Estudo diz que criança sem horário para dormir tem mais problemas de comportamento

Crianças sem horário certo para dormir podem apresentar maior risco de problemas de comportamento, além de dificuldades emocionais, como hiperatividade ou ansiedade. A afirmação é de um estudo britânico realizado com mais de 10 mil crianças publicado nesta segunda-feira (14) na revista Pediatrics.

De acordo com os pesquisadores, horários irregulares para dormir, assim como dormir pouco, afetam de forma negativa o ciclo circadiano, ou relógio biológico, da criança. Desse modo, as alterações prejudicam o ciclo responsável por gerenciar o funcionamento do corpo e por regular, por exemplo, o apetite, os horários de sono e o humor.


 “Alterar constantemente a quantidade de horas em que você dorme por noite ou então ir para a cama em horários diferentes a cada dia é como bagunçar o seu relógio biológico. Isso impacta a forma como o seu corpo será capaz trabalhar no dia seguinte”, afirma Yvonne Kelly, pesquisadora da Universidade College London e coordenadora do estudo.

 Na pesquisa, foram considerados hábitos como o horário de ir para a cama e quantidade de horas dormidas, de segunda a sexta. O estudo mostrou também que ter horários irregulares para dormir é mais comum entre crianças de famílias de baixa renda, com pais com níveis mais baixos de escolarização. Crianças desse grupo estariam mais expostas a outros hábitos prejudiciais, como pular o café da manhã e passar muito tempo na frente da televisão. As crianças tinham entre três, cinco e sete anos de idade. Além disso, pais e professores responderam a questionários sobre o comportamento das crianças. Informações da Veja.

14/10/13

Gostou? Então compartilhe!

Tags: ,

Comente esta notícia

LEIA AS REGRAS: Comentários que contenham palavrões, ofensas ou que não tenham relação com o assunto tratado na notícia podem ser deletados sem nenhum aviso. Em hipótese alguma faça propagandas de outros sites ou blogs. OBS: Os comentários dos leitores não refletem a opinião de O LAVRENSE
Comentário(s)
0 Comentário(s)

0 comentários: