-->

Lavras fechou janeiro com saldo negativo no número de empregos formais

Lavras fechou o mês de janeiro com saldo negativo de emprego. No primeiro mês do ano, a cidade registrou 918 admissões contra 934 desligamentos, saldo negativo de 16 vagas ou - 0,07%.Os dados referentes a este ano foram divulgados nesta quinta-feira, 20 de fevereiro, e fazem parte do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O destaque positivo fica por conta do setor de serviços que fechou o mês de janeiro com saldo positivo de 59 postos.

Em janeiro, o comércio foi o grande vilão, apresentando saldo de -44 postos. O saldo negativo é reflexo das contratações temporárias de final de ano. Além disso, é normal acontecer uma retração no primeiro trimestre do ano, devido a vários fatores, como as contas de início de ano, as viagens e até mesmo por algumas pessoas optaram por usufruírem do seguro-desemprego na certeza de que irão conseguir emprego após certo período.

Confira a evolução do emprego formal em Lavras no mês de janeiro/2014:
Setores
Total Admissão
Total Desligamento
Saldo
Variação Emprego % *
EXTRATIVA MINERAL
4
0
4
4,94
INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO
109
133
-24
-0,47
SERV INDUST DE UTIL PÚBLICA
12
15
-3
-1,27
CONSTRUÇÃO CIVIL
154
163
-9
-0,40
COMÉRCIO
221
265
-44
-0,71
SERVIÇOS
376
317
59
0,64
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
0
0
0
0,00
AGROPECUÁRIA
42
          41
1
0,10
TOTAL
918
934
-16
-0,07
O Lavrense - FONTE: Ministério do Trabalho e Emprego



Minas Gerais queda na geração de vagas com carteira assinada

Em Minas Gerais, os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que houve queda na comparação entre os meses de janeiro de 2013 e de 2014. No ano passado, foram 7.480 novos empregos formais e, agora, o montante caiu para 7.211 postos criados. Foi registrada queda de 3,5%.

O balanço do Caged também revelou que, em 2013, quatro cidades mineiras figuraram entre as 50 do país que mais contrataram. A campeã foi Contagem, que apareceu como a 21ª colocada. Em seguida, veio Uberlândia, no Triângulo Mineiro, como a 27ª colocada. Depois vem Montes Claros, no Norte de Minas, na 37ª posição nacional e Itabirito, em 48ª.

Números podem mudar durante ano

Os 29.595 empregos gerados no Brasil, em janeiro de 2014, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados, ontem, à tarde, pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), são números preliminares e podem aumentar ao longo do ano. Isso porque informações enviadas com atraso pelas empresas podem ser acrescentadas.

Durante a divulgação dos dados, o ministro do Trabalho, Manoel Dias, disse que o governo mantém a meta de criar, ao longo de 2014, entre 1,4 milhão e 1,5 milhão de novos empregos no país. No ano passado, foram criados 1,11 milhão de vagas, pior resultado em dez anos e 14,1% menor do que o registrado em 2012.

21/02/14

Gostou? Então compartilhe!

Tags:

Comente esta notícia

LEIA AS REGRAS: Comentários que contenham palavrões, ofensas ou que não tenham relação com o assunto tratado na notícia podem ser deletados sem nenhum aviso. Em hipótese alguma faça propagandas de outros sites ou blogs. OBS: Os comentários dos leitores não refletem a opinião de O LAVRENSE
Comentário(s)
10 Comentário(s)

10 comentários:

  1. Willian18:23

    Mais isso é lógico. Uma cidade que sai prefeito e entra e nem um deles se preocupa co industrias, só com creches e postos de saúde, tem que aceitar esse resultado mesmo. Lavras parou na cofap e TRW, e parece que não vão vir outras infelizmente. Pouso Alegre, Varginha e outras que o digam. Paramos no tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Emiliano Cerqueira09:52

      Falou tudo. Lavras está estagnada ha muito tempo devido justamente ao fato de, ano após ano, serem eleitos políticos completamente divorciados dos interesses da população. Só pensam em si mesmos e em lutar pelo poder e, como poder pouco É NÃO PODER, o que se vê é luta desesperada pelo comando político do município a todo custo. Isso não vai mudar NUNCA. E a culta é do ELEITOR esse eterno romântico que acha que pode eleger um salvador da pátria e não cobra dos eleitos o trabalho com responsabilidade.

      Excluir
    2. Willian16:40

      Suas palavras soam o que muita gente tem vontade de falar e se omite. Olha essa briga pelo poder público que está acontecendo agora. Sem entrar no mérito da questão, pois não sou partidário de nenhum dos dois, deixa o que está aí ter um pouco de sossego pra trabalhar. Mais não, tem que ser o velho continuísmo de sempre. Como disse, Salvador da pátria em Lavras, vamos ter que esperar mais um pouquinho.

      Excluir
    3. Anônimo05:34

      Sou de Varginha e lá esta pior que aqui,o que salva Varginha é a exportação de café que tem que obrigatoriamente passar por lá.
      Pouso Alegre e Extrema são as duas cidades que mais atraem indústrias.Vamos deixar bem claro que para uma grande indústria se instalar em uma cidade isso independe da administração municipal.
      Tem vários fatores,tais como localização,estrutura da cidade e o principal de todos estar a administração municipal aliada o governo estadual e isso em nossa cidade não ocorre.

      Excluir
    4. Anônimo12:47

      Pouso Alegre, que primeiro consolidou um pólo farmacêutico com 6 indústrias grandes no ramo: Sanobiol, Cimed, União Química, Biobase, Atna e A&G, agora objetiva criar um pólo logístico e para isso em um ano atraiu 3 grandes CDs: Unilever, Gold Chaves e Cremmer. E na assinatura da Cremmer, aproveitou para entrar na briga por sua nova fábrica também. A Cremmer é do ramo farmacêutico, se vingar, tornarará o pólo farmacêutico mais forte, pois vem ai ampliações na Cimed, União e a 2a. fábrica da americana Sanobiol.

      Enfim, não basta localização, é preciso oferecer as demais condições , e nisso, a prefeitura de Pouso Alegre não brinca em serviço.

      Excluir
  2. Anônimo22:54

    GOSTEI DO EDMAR DO PAIOL. VOTOU A FAVOR DO AUMENTO DO SALÁRIO DELE E CONTRA O AUMENTO DO SALÁRIO DOS SECRETÁRIOS. ESSE É COERENTE ATÉA TAMPA.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo08:24

    Edmar do Paiol de bobo só tem o jeito. O Zé Márcio votou contra os 2 aumentos, já o Edmar pensou: pra mim sim, pros outros não. Cara de pau.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo10:58

    Calma galera. com o Silas na prefeitura as coisas voltam a funcionar. Lavras vai voltar a crescer e ocupar o lugar que merece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo14:09

      Vai voltar à latrina com esta merda jussarista à frente da Prefeitura

      Excluir
    2. Anônimo22:34

      E o CQC voltará também solicitando a eles prestarem conta da caipirinha com camarão que consumiram nas custas de nós Lavrenses... você tem memória curta ou se lembra do rombo de 28 milhões que deixaram na última gestão... deve ser o mensalão de Lavras né... to cansado do continuísmo... não sou partidarista, mas o trabalho que vem sendo realizado está muito bom e espero que melhore cada vez mais... Fui.

      Excluir