-->

Maio fecha com mais demissões do que contratações em Lavras

O balanço do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) na tarde desta terça-feira (24), aponta que o mês de maio foi marcado por mais demissões do que contratações em Lavras. Foram contabilizadas 1.032 contratações no último mês, porém 1.037 pessoas foram dispensadas de seus postos de trabalho.

Os setores que mais contrataram em Lavras no mês de maio foram o de serviços, com 353 registros; o comércio, com 246 novos empregados e a construção civil, com 170 novos funcionários.

No mês passado, 404 pessoas perderam seus empregos no setor de serviços. No comércio foram 294 demissões e na indústria de transformação 148 trabalhadores foram demitidos no mês de maio. A agropecuária foi responsável pela maior entrada de pessoas no mercado de trabalho em Lavras, foram 168 contratações e 52 desligamentos, saldo de 116 empregos, uma variação positiva de 11,26%.

Em maio, a área de serviços industriais de utilidade pública registrou 10 contrações, porém, 11 trabalhadores foram dispensados. Já a administração pública não realizou nenhuma contratação ou demissão desde o início do ano, conforme o Caged.

No acumulado do ano, foram 4.965 admissões e 5.188 desligamentos em Lavras, gerando um saldo negativo de -223 postos de trabalho.


Ministro culpa "pessimismo" do empresariado

Os dados divulgados pelo Ministério do Trabalho revelam um cenário aquém das expectativas do governo federal. Às vésperas da Copa do Mundo, o Brasil teve o pior saldo de criação de vagas do trabalho com carteira assinada para o mês de maio desde 1992, cujo total de empregos formais gerados foi de 58,8 mil. Em maio do ano passado, as contratações foram de 72,02 mil. Para a Folha de São Paulo, o ministro do trabalho Manoel Dias afirmou que, por conta do Mundial, a perspectiva oficial de contratação era maior e que o motivo do resultado diferente da meta teria sido o pessimismo do empresariado. É provável que, em julho, o governo divulgue, revisado, o número esperado de contratação para este ano, que hoje é de 1,4 milhão de novas vagas.

24/06/14

Gostou? Então compartilhe!

Tags: ,

Comente esta notícia

LEIA AS REGRAS: Comentários que contenham palavrões, ofensas ou que não tenham relação com o assunto tratado na notícia podem ser deletados sem nenhum aviso. Em hipótese alguma faça propagandas de outros sites ou blogs. OBS: Os comentários dos leitores não refletem a opinião de O LAVRENSE
Comentário(s)
7 Comentário(s)

7 comentários:

  1. Márcio Nilo21:28

    A culta é da Dilma! fora PT!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helenice10:12

      Alguém sabe quando sai o concurso da prefeitura????

      Excluir
    2. Anônimo15:34

      Acorda mané, a culpa é do Aécio, fora PSDB.

      Excluir
    3. Anônimo15:29

      Culpa do Aécio?
      Culpa do PSDB?
      Meu Deus! Até aonde vai o rancor político.Quem esta no poder é o PT e não o PSDB.Quem preside o Brasil é a Dilma e não o Aécio.

      Excluir
  2. Anônimo13:13

    Cadê os sindicatos que só deixam os diretores ricos? Expresso nepomuceno demitiu + de 200. Só aqui no curral de Lavras, isso acontece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo07:08

      Demissões esta havendo em todos os setores no Brasil inteiro.Sindicatos?Doce ilusão essa sua desde quando movimento sindicalista no Brasil se preocuparam com demissões?Não existe no Brasil sindicatos independentes,nossos sindicatos são coligados a partidos políticos.

      Excluir
  3. Anônimo14:05

    Coincidência ou não uma coisa tem que ser falada,a partir de janeiro de 2013 quase todos os balanços mensais do CAGED e nossa cidade foram negativos,sempre mais demissões que contratações,um setor que sempre foi forte em nossa cidade é o da construção civil e esta sempre os que mais demitem,conversando com engenheiros e construtores me disseram que hoje para se liberar uma obra na prefeitura levam meses mesma coisa me disse um contador amigo meu que documentos municipais que são necessários para se abrir uma empresa,antes levava 10 dias hoje perde-se entre 30 a 45 dias.Muito estranho isso,na administração passada tinha 680 contratados e hoje são mais de 1200 e a qualidade do serviço prestado caiu demais,quem perde com isso é a cidade.

    ResponderExcluir