-->

UFLA discute o assedio moral no ambiente universitário

Entidades representativas dos docentes, técnico-administrativos e dos estudantes da Universidade Federal de Lavras (UFLA), vão aproveitar o Dia Internacional da mulher, 8 de março, para promoverem uma série de eventos em torno da discussão de um assunto sério e que vem preocupando cada vez mais a comunidade acadêmica: o assédio moral e sexual dentro da universidade.

O ato “Nem tudo são Flores – Debatendo os assédios na UFLA”, reúne a Associação dos Docentes da Universidade Federal de Lavras (Adufla), o Sindicato dos Servidores dos Técnicos Administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior de Lavras (SindUFLA), o Diretório Central dos Estudantes (DCE) e a Associação de Pós-Graduandos (APG), além da participação do Coletivo Mulheres da UFLA e do Levante Popular da Juventude.

O objetivo da mobilização é debater a questão dentro da instituição de forma pública para esclarecer a comunidade acadêmica sobre o que pode e o que não pode ser considerado assédio moral ou assédio sexual; exigir que os casos relatados deixem de ser tratados como fatos normais; cobrar da direção da universidade que a mesma que tome as medidas legais para coibir qualquer tipo de abuso; e que se tenha mais transparência em relação aos casos registrados.

A questão do assédio vem sendo tratado entre as entidades representativas na UFLA desde o ano passado, mas devido a greve as ações não foram realizadas em 2015. Existe um consenso entre os representantes dos docentes, técnicos e estudantes de que tanto a direção da universidade quanto as próprias entidades não estão sabendo lidar com o problema de forma adequada.

A ideia é ampliar discussão em torno do assunto, envolvendo todas as categorias, para que num segundo momento o movimento possa apresentar propostas e subsídios que possam contribuir para erradicar um problema que é real e está presente no dia a dia da instituição.

A programação terá início às 10h do dia 8 de março com a realização de oficinas de cartazes e stencil no canteiro central da UFLA, com mobilização no campus e ações políticas e culturais. Na parte da tarde, às 14h, a palestra “Debatendo os Assédios na UFLA” terá a participação dos professores Bruno Gonlçalves (DIR), Gabriela Navarro (DIR) e Catarina Dallapiculo (DED), no Salão de Convenções, onde também acontecerá o Cine Debate com o filme “As Sufragistas”, às 17h, seguido de debate, com os profesores Marcelo Sevaybricker (DCH) e Catarina Dallapicula (DED).

Ao final da mobilização, será elaborado um manifesto de lançamento do Fórum Permanente para Debater o Assédio Moral e Sexual na UFLA (nome provisório), que irá reunir todas as entidades representativas da universidade numa ampla discussão em torno do tema, com a realização de uma série de ações a partir do evento da próxima terça-feira (8).

╝ Leia também:
Sesc de Lavras
abre inscrições
para projeto
de apoio escolar
gratuito
Federal de Lavras
divulga 5ª chamada
do PAS e SiSU
TJMG abre concurso público para cartório de notas e de registro no Estado
03/03/16

Gostou? Então compartilhe!

Tags:

Comente esta notícia

LEIA AS REGRAS: Comentários que contenham palavrões, ofensas ou que não tenham relação com o assunto tratado na notícia podem ser deletados sem nenhum aviso. Em hipótese alguma faça propagandas de outros sites ou blogs. OBS: Os comentários dos leitores não refletem a opinião de O LAVRENSE
Comentário(s)
0 Comentário(s)

0 comentários: