-->

Corpo de Bombeiros alerta população para prevenir acidentes na estação chuvosa

Institutos de meteorologia esperam chuvas mais volumosas para praticamente todo o território mineiro em 2017. Governo do Estado tem ações preventivas e órgãos de prontidão

Divulgação/CBMMG.

A seca mais prolongada dos últimos anos em Minas Gerais começa a chegar ao fim com as primeiras chuvas depois de mais de 100 dias sem cair uma gota de água na maioria das regiões. Como nos anos anteriores, o Governo do Estado - por meio do Corpo de Bombeiros Militar e da Defesa Civil - trabalha intensamente no socorro a vítimas e na conscientização para os cuidados que se devem ter com o período das chuvas.

Segundo a tenente do Corpo de Bombeiros na capital, Andrea Coutinho, a estação chuvosa é propícia a tempestades, por isso todas as precauções precisam ser tomadas para a busca de abrigos seguros. Nessa época aumentam as ocorrências e os danos materiais com a queda de árvores mais frequentes do que em outras estações.

A orientação é para nunca se abrigar debaixo de árvores, coberturas metálicas, postes, fiação e torres de transmissão. Se estiver dirigindo sob chuva e vento forte, recomenda-se estacionar em lugar seguro e abandonar o veículo.

Com foco na segurança do cidadão, o Corpo de Bombeiros Militar realiza o corte de árvores apenas quando apresentam risco de queda, pois elas atingem as vias públicas, param o trânsito e colocam vidas em risco nas situações mais extremas.

Quando as árvores são fator de risco

As árvores são fundamentais para redução da poluição e dos ventos, mantêm a umidade do ar e as chuvas regulares e, entre outras coisas, proporcionam sombra nas cidades. Contudo, é preciso atenção, principalmente, nessa época do ano, quando elas ficam mais vulneráveis.
Apesar de ser responsabilidade dos municípios, o Corpo de Bombeiros também realiza vistorias quando há suspeita de que a árvore esteja em risco.

Em 2016, a corporação realizou, em todo o estado, 4.818 vistorias em árvores para verificar as reais condições; efetuou 3.132 cortes de árvores que ofereciam risco de queda; 2.635 cortes de árvores já caídas.

De janeiro a agosto de 2017 foram 3.035 vistorias realizadas; 1.914 cortes de árvores com risco de queda, 1.175 cortes de árvores já derrubadas pela ação da natureza.

“As chuvas rápidas e fortes podem gerar ambientes propensos a desabamentos, o que exige atenção a todos os sinais de movimentação de terra e rachaduras nas casas”, alerta a tenente Andréa, pedindo que o imóvel seja imediatamente abandonado nessa situação.

“Os moradores devem sair para lugar seguro como casa de parentes ou amigos e não se apegar a bens materiais quando a vida é o mais importante”, ratifica a militar.

Parceria pela segurança


O Corpo de Bombeiros Militar tem parceria efetiva com a Defesa Civil do Estado e dos municípios. Recentemente foi realizado em Belo Horizonte treinamento específico contemplando três núcleos da Defesa Civil, que orienta moradores como atuar em situações de risco durante as fortes chuvas. Essa parceria se estende a todo o estado.

A dica maior dos bombeiros é sempre pela preservação da vida. “Abandone o seu veículo em caso de enchente, bem como a sua residência com risco de desabamento e procure segurança. A mesma orientação é dirigida a quem mora perto de rios. Não entre em contato com a água, pois, além do perigo de afogamento, existe o risco de contaminação por esgoto e lixo”, conclui a tenente Andrea Coutinho.

06/10/17

Fonte: Agencia Minas

Gostou? Então compartilhe!

Tags:

Comente esta notícia

LEIA AS REGRAS: Comentários que contenham palavrões, ofensas ou que não tenham relação com o assunto tratado na notícia podem ser deletados sem nenhum aviso. Em hipótese alguma faça propagandas de outros sites ou blogs. OBS: Os comentários dos leitores não refletem a opinião de O LAVRENSE
Comentário(s)
0 Comentário(s)

0 comentários: