-->

Programação cultural de Ouro Preto para a Semana Santa

Enquanto as celebrações comovem moradores e turistas,uma extensa programação cultural movimenta a cidade

Durante a Semana Santa, Ouro Preto estará de braços abertos para receber moradores e turistas que se maravilham com as celebrações religiosas e com a tradição cultural da cidade. A Semana Santa tem início no dia 25 de março, com as celebrações do Domingo de Ramos, pela manhã, e do Domingo do Encontro, no fim da tarde, que abre a semana, com o sermão na Praça Tiradentes e a procissão em direção à Igreja do Pilar. Enquanto as celebrações religiosas acontecem, a cidade oferece extensa programação cultural com exposições de arte, oficina de confecção de tapetes de serragem, workshop de fotografia, passeio noturno gastronômico no Trem da Vale e ateliê de arte sacra aberto à visitação, com decoração especial para a Semana Santa.

Tapetes de serragem enfeitam as ruas na Semana Santa em Outro Preto. Foto: Leo Homssi.

O ponto alto da Semana Santa de Ouro Preto são os tapetes de serragem, confeccionados sempre na noite do Sábado de Aleluia, para a passagem da procissão do Domingo de Páscoa, pela manhã. Qualquer pessoa pode participar e fazer tapetes de serragem. Basta estar em Ouro Preto no dia 31 de março e se dirigir às ruas do trajeto da procissão. Em geral, os moradores das casas confeccionam os tapetes em frente às ruas residências. Por outro lado, áreas comerciais e que não possuem residência costumam ser apropriadas por visitantes, que colocam as mãos na serragem e colorem com muita criatividade as ruas. Quanto mais pessoas envolvidas na confecção, mais os tapetes ficam belos para a Procissão da Ressurreição. Toda colaboração é bem vinda.

Programação cultural

Oficina de Tapetes de Serragem

O produtor cultural Rodrigo Câmara oferece uma oficina de tapetes de serragem no Largo do Rosário, em comemoração aos dois anos da Casa Câmara. Será realizada no dia 31 de março, das 16h às 19h, com o objetivo de auxiliar no processo de confecção de tapetes para quem nunca participou desse momento ou para quem quer ter ideias para colocar a mão na massa durante a noite. A oficina conta com história, escolha do desenho, tintura e montagem de um tapete na rua. São 20 vagas. Inscrições até o dia 28/03 pelo telefone (31) 99137-8434.

Workshop de fotografia “Um Olhar”

O fotógrafo Eduardo Tropia ministra seu workshop de fotografia Um Olhar nos dias 30 e 31 de março e 1º de abril. O foco é a Semana Santa e suas belas celebrações. Mais informações: cursoeduardotropia@gmail.com.

Trem da Vale

Com viagens de quarta a domingo, o Trem da Vale faz o percurso ligando Ouro Preto a Mariana em dois horários por dia. No Sábado Santo (31/03), o trem noturno volta a circular entre as duas cidades, com atrações diferenciadas nos vagões. Mais informações: (31) 3551-7705.

Exposição “Índia”

Com fotografias de Pedro Mendes. Até 1º de abril, na Galeria de Arte Nello Nuno, da Faop (rua Getúlio Vargas, 185 – Rosário). Visitação de segunda a sexta, das 9h às 18h, e aos sábados e domingos, das 13h às 18h. Entrada franca.

Exposição “Cantos das Minas Gerais”

Com obras da artista plástica Bernadete Teixeira (Berná). Até 16 de abril, na Galeria Sesi-Fiemg - piso Cláudio Manoel (Praça Tiradentes, 4 – Centro). Visitação de segunda a domingo, das 9h às 19h. Entrada franca.

Exposição “Caminhar sem fim”

Com fotografias de Alexandre Martins. Até 1º de maio, na Galeria Fiemg (Praça Tiradentes, 4 – Centro). Visitação de segunda a domingo, das 9h às 19h. Entrada franca.

Exposição “O sopro e a forma”

Com obras do artista plástico Rodrigo Cid. Até 20 de abril, na Galeria de Arte do GLTA (Rua Paraná, 136 – Centro). Visitação de segunda à sexta, das 09h às 18h, e aos sábados, das 9h às 12h. Entrada franca.

Abertura do Ateliê de Arte Sacra Ana Rocha

Funcionamento de quarta a domingo, das 10h às 18h. No Beco da Escadaria do Carmo (acesso pela Rua Direita). O beco fica decorado exclusivamente para a Semana Santa.

A Semana Santa de 2018

A Paróquia do Pilar, que organiza a Semana Santa de 2018, pede que os moradores e comerciantes enfeitem as casas e janelas no trajeto das procissões. Como todos os anos, esta ação da comunidade faz a celebração ficar ainda mais bonita. Toalhas coloridas e flores são sempre colocadas nas janelas. As toalhas vermelhas ou roxas são para os dias mais solenes, sendo substituídas por tecidos brancos ou coloridos para o Domingo da Ressurreição. Outro pedido é que as casas, no trajeto, mantenham acesas as luzes da fachada, para que moradores e visitantes tenham iluminação adequada para a confecção dos tapetes.

Origens dos tapetes

Cronistas do século XVIII e viajantes do século XIX registram, em suas páginas, a magnificência das festas religiosas em Ouro Preto. É da época do auge da extração do ouro na cidade o esplendor das festas religiosas, com cortejos solenes e suntuosos. Flores e folhagens preparavam o chão em que imagens sacras e o Santíssimo Sacramento passaria.

A capela original da Matriz do Pilar foi demolida em 1724 para a construção da atual igreja. Enquanto isso, o Santíssimo Sacramento foi levado para a Capela do Rosário dos Pretos, atual Igreja de Nossa Senhora do Rosário, para que as missas e demais celebrações pudessem ser realizadas. Em 1733, quando boa parte das obras da Igreja do Pilar estavam prontas, o Santíssimo Sacramento foi preparado para voltar ao seu lugar de origem. Uma grande festa foi preparada: o Triunfo Eucarístico.

Triunfo Eucarístico é o nome de um opúsculo publicado em Lisboa em 1734, por Simão Ferreira Machado. Ele descreve a festa que acontecera um ano antes, em 24 de maio de 1733, em Ouro Preto, e que marcou a inauguração da Matriz do Pilar. Na época, havia ainda a abundância de ouro na cidade e a Igreja viu mais uma oportunidade de se firmar frente à população, com um espetáculo de muito esplendor. Na procissão do Triunfo, junto aos sacerdotes, seguiam os fiéis pertencentes a irmandades da cidade, todos com trajes de gala.

As ruas entre a Igreja do Rosário e a Matriz do Pilar foram cobertas de flores e folhagens, enquanto as janelas das casas receberam sedas e tecidos adamascados, além de adornos de ouro e de prata.

Em 1963, quando Nossa Senhora do Pilar foi escolhida a Padroeira de Ouro Preto, os tapetes voltaram a ser feitos. A população abraçou o ato e os tapetes passaram a ser confeccionados anualmente, na noite do Sábado Santo, para a procissão do Domingo da Ressurreição. Atualmente, eles são feitos de serragem tingida, que é distribuída pela prefeitura de Ouro Preto ao longo do trajeto da Procissão da Ressurreição. Também são utilizados ciprestes, farinha de trigo, pó de café, palha de arroz, couro e cal. A tradição se mantém durante a Semana Santa, em que se pode ver Ouro Preto em pleno estado de graça, celebrando com dramaticidade barroca, arte e criatividade o principal feriado religioso do Brasil.

20/03/18
Fonte:Converso Comunicação

Gostou? Então compartilhe!

Tags: , , ,

Comente esta notícia

LEIA AS REGRAS: Comentários que contenham palavrões, ofensas ou que não tenham relação com o assunto tratado na notícia podem ser deletados sem nenhum aviso. Em hipótese alguma faça propagandas de outros sites ou blogs. OBS: Os comentários dos leitores não refletem a opinião de O LAVRENSE
Comentário(s)
0 Comentário(s)

0 comentários: