EXCESSO DE CARGA DANIFICA ESTRADAS NA REGIÃO

O desrespeito de motoristas, que transportam cargas com excesso de peso, e a falta de fiscalização nas estradas, resultam em danos às rodovias. As balanças que deveriam medir o peso das cargas não funcionam ou são ignoradas por quem passa por elas.

Esses problemas são constatados em dois trechos da Rodovia Fernão Dias, no Sul de MInas, em São Sebastião da Bela Vista, onde cerca de 800 veículos desrespeitam a lei todos os dias, e em Lavras, onde o serviço não é executado há meses.

Os prejuízos que vão desde a sonegação fiscal até os estragos na pista. De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Rodoviária Federal em Belo Horizonte, ainda não há um acordo de cooperação entre a polícia e o Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (DNIT) para a fiscalização no trecho de São Sebastião da Bela Vista, mas, mesmo sem o acordo, a Polícia Rodoviária faz fiscalizações quando existe necessidade.

Quanto à balança próxima ao trevo de Lavras, o DNIT confirma que existe um desnível na pista e a regional do órgão está aguardando uma ordem do DNIT de Brasília para começar a obra. O custo e a data prevista para o início da operação não foram informados.

O Inmetro informou que a responsabilidade da vistoria e pesagem da balança é do (Instituto de Pesos e Medidas (Ipem), em Varginha, que informou que não há registro de solicitação feita pelo DNIT para verificação da balança. O gerente do órgão, Eduardo Viana, disse que a verificação é feita uma vez por ano ou quando há denúncias.

Balanças vão continuar desativadas

Desativadas há cerca de três anos, as balanças instaladas ao longo das estradas e que permitem controlar o peso dos veículos que trafegam nas rodovias mineiras não têm data para ser ativadas. O superintendente do Dnit em Minas Gerais, Fernando Guimarães Rodrigues, informou nesta segunda-feira(24), que os problemas técnicos e administrativos do órgão ainda não foram sanados.
No Estado existem onze balanças, sendo dez fixas e uma móvel. O superintendente limitou-se a dizer que os "pequenos entraves" serão solucionados até o início do próximo ano com a abertura de licitação.

Embora o superintendente evite comentar o assunto, as balanças foram desativadas em razão do vencimento do contrato da empresa terceirizada com o Estado. Sem aferição do peso, o excesso diário de peso compromete a durabilidade do asfalto.
Postagem Anterior Próxima Postagem