EMATER RETOMA ATIVIDADES DO CIRCUITO MINEIRO DE CAFEICULTURA

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) retoma as atividades do Circuito Mineiro de Cafeicultura neste semestre. “A pausa no mês de julho foi em função da colheita do café”, explica o coordenador estadual de Café da Emater-MG, Marcelo de Pádua Felipe. Em sua nona edição o Circuito Mineiro de Cafeicultura é realizado em parceria com o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Universidade Federal de Lavras (Ufla) e Polo de Excelência do Café.

O objetivo é debater nos municípios produtores de café, questões de interesse do setor. Em cada um deles a agenda é definida pelos cafeicultores locais. Alguns meses antes do evento, os extensionistas fazem uma consulta para definir os assuntos das palestras, segundo o coordenador estadual de Café. Ele acrescenta que este ano, em alguns municípios, o circuito será misto. “Parte da programação será no campo e parte em ambiente fechado”, diz. Os principais temas são: qualidade e agregação de valor ao café, segundo Marcelo Felipe. A primeira etapa do segundo semestre foi em São Francisco de Paula, no último dia 13. A próxima será no município de Candeias, Sul de Minas, no dia 26 de agosto.

O Circuito Mineiro de Cafeicultura, que teve inicio em abril, no município de Boa Esperança, termina no final da segunda quinzena de outubro. Trinta municípios do Estado participam do evento. “Minas está em primeiro lugar na produção de café do país”, destaca o coordenador estadual. Pádua lembra que, dos 39 milhões de sacas de café produzidos na última safra, 19,2 milhões são de Minas Gerais. O Sul do estado lidera a produção, com 9,3 milhões de sacas.
Postagem Anterior Próxima Postagem