MEDO DA GRIPE SUÍNA - VENDAS DE ÀLCOOL EM GEL DISPARAM EM LAVRAS

Com o crescente número de casos da nova gripe A (H1N1) no país e no mundo, a população busca todas as formas de se proteger da doença. Uma das recomendações é manter as mãos limpas, utilizando água e sabão. Mas a praticidade e eficiência do álcool em gel na higienização acabou transformando-o no principal aliado na prevenção.

Em Lavras, o consumo do produto aumentou nos últimos dois meses em aproximadamente 70%, e o preço chega a quase três vezes mais que o álcool líquido.

Funcionária de um supermercado da cidade, Fabiane Carvalho conta que são vendidas aproximadamente 50 unidades desse álcool por dia. “Antes da gripe suína, vendíamos poucas unidades e nunca esteve em falta no estoque. Tivemos que aumentar o pedido aos fornecedores para atender à demanda,” explica.

Na maioria dos estabelecimentos o álcool em gel desapareceu das prateleiras. De acordo com vendedores de farmácias ouvidos por O Lavrense, a procura desmedida pelo produto surpreendeu até mesmo os fornecedores, o que explica a falta no mercado.

Antigamente não vendíamos mais do que uma unidade por dia e na semana passada foram comercializadas 15 unidades, em apenas um dia”, conta Wellington Silva, vendedor de uma rede que tem várias lojas em Lavras e região. Ele afirma que apesar de estar em falta, o material de higiene é o mais procurado pelos clientes.

Embora não seja potencialmente inflamável como o álcool líquido, o álcool em gel também oferece riscos, e necessita de atenção ao ser manuseado.
Postagem Anterior Próxima Postagem