Número de moradores de rua aumenta e provoca transtornos em Lavras

Protegidos sob marquises ou na sombra das árvores, vagando pelas ruas ou procurando materiais recicláveis nos cestos de lixo, os moradores de rua são comuns no centro da cidade. O inconveniente é que com eles, a sujeira e a insegurança rondam quem mora ou trabalha nas proximidades.

Morador de rua dorme na entrada da agência do Banco Mercantil na Praça Leonardo Venerando, no centro.

Alguns comerciantes até já se acostumaram com a rotina de, quase todos os dias, tirar colchões velhos e papelões da frente da loja e limpar o local com creolina para amenizar o cheiro de urina deixado pelos ‘inquilinos’.

"Eles deixam sujeira nos locais em que dormem e a gente fica com medo de ser atacada porque muitos deles bebem e se tornam agressivos", diz Helena Rodrigues, que trabalha em uma lanchonete no centro da cidade.

Eles aparecem na hora do almoço e aproveitam o movimento para pedir dinheiro aos clientes ou marmita aos donos dos estabelecimentos.

O problema também incomoda quem frequenta o terminal rodoviário de Lavras. Usuários e taxistas reclamam do assédio constante de mendigos no local.


24/08/10
Postagem Anterior Próxima Postagem