-->

Tribunal de Justiça nega pedido de habeas corpus de advogado para libertar os 248 detentos do presídio de Lavras

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) pediu que o secretário de Estado de Defesa Social, Lafayette Andrada, preste informações, em um prazo de 10 dias, sobre a situação do presídio de Lavras, que está com superlotação de presos. Um advogado da cidade entrou com um pedido para liberar todos os 248 detentos do local, porém o habeas corpus foi negado.

De acordo com o pedido feito pelo advogado criminalista, Luiz Henrique Fernandes Santana, a situação dos presos é precária. Em algumas celas, os presos têm que se revezar para dormir, pois o número de camas é inferior ao de detentos. Em outras, nem sequer tem o móvel. Também alertou que quando chove a água entra em algumas celas.

A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) admitiu a superlotação e confirmou que a unidade tem 236 presos, enquanto a capacidade é para 116.

Ao negar o pedido feito pelo advogado, os desembargadores requisitaram informações de autoridades sobre o assunto e deu um prazo de 10 dias para que o secretário tome conhecimento dos fatos e preste informações.

Após as respostas, o processo será encaminhado à Procuradoria-Geral de Justiça.

06/02/12

Fonte: Estado de Minas

Gostou? Então compartilhe!

Tags:

Comente esta notícia

LEIA AS REGRAS: Comentários que contenham palavrões, ofensas ou que não tenham relação com o assunto tratado na notícia podem ser deletados sem nenhum aviso. Em hipótese alguma faça propagandas de outros sites ou blogs. OBS: Os comentários dos leitores não refletem a opinião de O LAVRENSE
Comentário(s)
3 Comentário(s)

3 comentários:

  1. Anônimo15:11

    Este secretário é um verdadeiro sanguesuga, a exemplo dos demais parentes que mamam nas tetas do pais desde a época do império.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo13:25

    A capacidade real do presídio estadual de Lavras é de 116 detentos e não 51.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo07:25

    Acredito que realmente o ser humano mesmo que tenha cometido crimes revogáveis,não mereça estar vivendo nestas cituações.Mas soltar todos para que possam viver junto a sociedade é uma falta de respeito total para a população lavrense que trabalha o dia todo, as vezes nem tem como comer pois ganham salários miseráveis e mesmo assim não cometem nenhum crime.Nós não temos que conviver com pessoas que não tenham capacidade de controlar suas fúrias,pessoas sem nenhum tipo de amor ao próximo, eles roubam, matam,ameaçam e nós como vamos ficar? Trancados dentro de casa? Temendo por nossos filhos?
    Eis uma pergunta que nunca quer se calar: Dr.Luiz Henrique Fernandes Santana qto o senhor está ganhando pra isto? É realmente por pena da cituação deles? O senhor vai se responsabilizar após a saída de cada um, pelo seus atos e nos promete que viveremos em paz? Sua família vai viver em paz,ou vc tem uma proteção particular?
    Francamente, se eles estão lá é porque não são honestos e nem responsáveis para viver junto a uma sociedade que trabalha e luta para ter uma vida normal.E este problema não cabe a vc, a não ser que como na pergunta que fiz, depende de qto o senhor iria ganhar...Totalmente irracional sua tentativa...

    ResponderExcluir