-->

Liquidações seguram a inflação de maio em Lavras

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Universidade Federal de Lavras (UFLA) ficou em 0,07% no mês de maio. Em abril, esse índice havia sido negativo, ou seja, houve uma deflação de 0,15%.

Entre os onze grupos que compõem o IPC da UFLA, as maiores altas ficaram concentradas nos setores de higiene pessoal (2,12%), despesas com material de limpeza (1,24%), bebidas (0,48%), educação e saúde (0,02%) e alimentos, com aumento de 0,24%.

De acordo com o prof. Ricardo Reis, coordenador da pesquisa, foram as tradicionais liquidações da moda verão-outono que em parte seguraram o IPC de maio, cujo setor teve queda média de 0,77%. Afirma que se esse segmento não tivesse alterações negativas de preços, a inflação de maio chegaria a 0,16%.

Em maio, os produtos in natura subiram 2,42% no mês, os semielaborados, 1,42% e os industrializados tiveram uma alta média de 0,92%. As maiores altas nessas categorias foram as da carne bovina (3,41%), do feijão (3,21%), da batata (4,24%), do pepino (14,22%), da cebola (4,41%), do tomate (10,64%), das bolachas (11,41%) e dos chocolates/bombons, que ficaram mais caros 5,41%.

Entre as categorias pesquisas pela UFLA e que praticamente não tiveram alterações na média dos preços levantados no mês estão às despesas com moradia, transporte, lazer, serviços gerais (água, luz, telefone e gás de cozinha) e bens de consumo duráveis (eletroeletrônicos, eletrodomésticos, móveis e informática)

Cesta básica

O custo da cesta básica de alimentos para uma família de quatro pessoas aumentou 1,45%, em maio, e ela passou a custar R$394,73. Em abril seu valor era de R$389,06.


23/05/12

Gostou? Então compartilhe!

Tags:

Comente esta notícia

LEIA AS REGRAS: Comentários que contenham palavrões, ofensas ou que não tenham relação com o assunto tratado na notícia podem ser deletados sem nenhum aviso. Em hipótese alguma faça propagandas de outros sites ou blogs. OBS: Os comentários dos leitores não refletem a opinião de O LAVRENSE
Comentário(s)
0 Comentário(s)

0 comentários: