-->

Veterinária alerta sobre os riscos de alimentar cães e gatos com sobras das refeições

Muitos donos de cães e gatos ainda oferecem sobras de comida aos seus bichos de estimação como uma forma de agradá-los. Mas o que muitos deles não sabem é que essa prática põe em risco a saúde desses animais. Além da comida industrializada, como embutidos, enlatados e conservas, muitos vegetais são extremamente tóxicos ao organismo de cães e gatos.
Tanto que grande parte dos casos de intoxicação registrados em clínicas veterinárias do país são provocados pela ingestão de frutas e legumes, como tomates, alho, cebola, uvas e maçãs. Por isso, é fundamental conscientizar donos e também criadores sobre os cuidados necessários com a alimentação destes bichos de estimação (veja abaixo)", alerta a veterinária Valéria Pires Corrêa.

Alho e Cebola

Embora não sejam servidos em grandes porções, alho e cebola são consumidos em uma quantidade considerável por cães e gatos, à medida em que eles desenvolvem o hábito de se alimentar de arroz, feijão ou salada, misturados aos pedaços de carne que recebem de seus donos. “As espécies de alho e cebola mais comuns em nossa mesa são justamente as mais tóxicas para cães e gatos. Nelas, a quantidade de substâncias oxidantes, como odissulfeto de n-propil, é muito superior ao que as vias metabólicas antioxidantes destes animais conseguem suportar”, explica a veterinária. “Por isso, o consumo frequente de s ses vegetais pode resultar em uma reação conhecida como hemólise oxidativa. Ou seja, um processo que destrói a hemoglo bina e os glóbulos vermelhos do sangue, ocasionando anemia profunda, icterícia, sangue na urina e até a morte.”

Uvas e passas

Utilizadas em pratos como arroz à grega ou em assados de diferentes tipos, uvas comuns ou passas também costumam ser oferecidas aos cães como parte das sobras da mesa. Esse tipo de alimentação, no entanto, pode afetá-los gravemente. Ao consumir uvas de qualquer tipo em grande quantidade, o cão pode apresentar vômito, diarreia, letargia e polidipsia (maior consumo de água). Outros sintomas como anorexia, depressão e oligúria (diminuição na produção de urina) também podem aparecer em função da intoxicação por uvas. “A substância que provoca todas essas reações ainda é desconhecida. Mas ingestão de uvas por cães pode levá-los, inclusive, à falência renal”, alerta Dra. Valéria.

Maçãs

As maçãs não são tóxicas para cães e gatos. Porém as suas sementes e, possivelmente, as suas folhas, carregam um composto conhecido como cianogênico-cianida. Essa substância altera o processo de respiração celular dentro do organismo do animal, causando palidez das mucosas, taquipneia, taquicardia, nauseas, vômito, convulsões e pode ocorrer a morte do animal. “Todos estes sintomas aparecem pouco tempo após a ingestão da fruta. Mas, em caso de dúvida, também se pode identificar esse tipo de intoxicação pelo odor próximo ao de amêndoas no hálito ou no conteúdo gástrico expelido com o vômito, as fezes ou a urina do animal”, explica Dra. Valéria.

Tomates

A ingestão de tomates afeta a saúde de cães e gatos em função da chamada tomatina. Essa substância é encontrada em maior quantidade em frutas verdes. Nas maduras, ela já está quase totalmente metabolizada. Contudo, é importante manter a cautela. A tomatina pode provocar distúrbios gastrointestinais e cardíacos, além de doenças que afetam o sistema nervoso central dos animais, como ataxia, fraqueza muscular e tremores. “Como os tomates servidos a cães e gatos quase sempre estão maduros, a absorção de tomatina pelo organismo deles não é grande. Por isso, casos mais graves de intoxicação por essa substância ainda são raros”, diz a veterinária. “Poré m, é importante estar atento. Em sítios ou fazendas, por exemplo s, os pets podem ter acesso a frutos ainda verdes e apresentar complicações”, conclui.

Alimentação balanceada

Tendo em vista o que a má alimentação oferecida a cães e gatos pode provocar, o que fazer para mantê-los sempre saudáveis? Segundo Dra. Valéria, a tarefa é simples. Tudo o que os donos precisam fazer é oferecer aos seus bichos de estimação uma dieta balanceada. “Isso se consegue oferecendo aos animais uma combinação equilibrada de proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais”, explica a veterinária. “Embora alguns deles gostem muito da comida preparada pelos donos, esse tipo de alimentação se obtém melhor com ração”, afirma.

19/02/13

Gostou? Então compartilhe!

Tags: , , ,

Comente esta notícia

LEIA AS REGRAS: Comentários que contenham palavrões, ofensas ou que não tenham relação com o assunto tratado na notícia podem ser deletados sem nenhum aviso. Em hipótese alguma faça propagandas de outros sites ou blogs. OBS: Os comentários dos leitores não refletem a opinião de O LAVRENSE
Comentário(s)
3 Comentário(s)

3 comentários:

  1. Bianca19:15

    O meu cachorro é um pischer e ele é louco por frutas! principalmente: banana,maça,manga...só não dou frutas ácidas que pode fazer mal!

    ResponderExcluir
  2. Vinícius08:02

    uma dieta saudável e balanceada. parece fácil isso. o problema é que meu cachorro é enjoado e só gosta de comer porcaria. ja tentei mudar marca de ração mas não adianta muito :-(

    ResponderExcluir
  3. Anônimo13:42

    Dra.Pode me responder a duas perguntas:alimentação sem ser ração pode dar infecção intestinal?Com que idade o ciclo menstrual das cadelas mudam,ou melhor,costuma atrasar a menstruação com o decorrer da idade?A minha tem 7 anos, é uma cocker.
    obrigada

    ResponderExcluir