Descaso público - Moradores reclamam de praças "abandonadas" no Vale do Sol e Jardim Fabiana

Falta de manutenção, de limpeza constante e de segurança. Algumas praças de Lavras, a julgar pelas constantes reclamações de moradores, sofrem todas do mesmo mal. Um exemplo é a Praça Gilbran Simão no bairro Vale do Sol. Ali, como em outros espaços que deveriam ter a convivência como finalidade, o mato e a aparência de abandono tomam conta.

Os moradores afirmam que já foram feitos vários pedidos para que a Prefeitura tome providencias com ralação ao mato alto que toma conta da praça e que acaba servindo de pastagem para animais que circulam livremente pelas ruas do bairro.

Ninguém traz crianças para brincar, pois além de ser muito sujo, sempre tem estranhos rondando por aqui'', conta Cecília Carvalho, que mora no bairro e atravessa a praça todos os dias para levar o filho à escola.

Ao chegar no local, a equipe O Lavrense encontrou roupas velhas, restos de comida, fezes de animais e até jornais, nos quais alguns vândalos tinham acabado de atear fogo. "Raramente, a Prefeitura lembra do bairro; essa área precisa ser roçada", cobra a moradora Helena Silva, temendo que a presença dos animais possam machucar as crianças que residem nas proximidades da praça.

O mato também toma conta da Praça Horário Mesquita, no Bairro Jardim Fabiana. Quem passa pelo local se assusta com tanto mato. Os moradores querem que a Prefeitura mande uma equipe para fazer a limpeza do local. A retirada do mato já será um bom começo para diminuir a insegurança dos moradores.

O mato deveria ser cortado sempre. Nunca vi esta praça bem cuidada'', afirma o morador Guilherme de Souza.

Além do aspecto ruim, as praças tomadas pelo mato se transformaram em ponto de consumo de drogas. Não existe iluminação e a escuridão da noite amedronta as pessoas que moram nas imediações. Algumas pessoas não tem mais coragem de sair de casa a noite nessas imediações.

Nossa redação tentou contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal e, até o momento, não recebemos resposta.

29/12/14
Postagem Anterior Próxima Postagem