;

Header Ads

Bancada feminina faz ato por 30% das cadeiras nos parlamentos

Aos gritos de “30% já das cadeiras”, a bancada feminina fez um ato hoje (21) na Câmara dos Deputados pedindo que a proposta de reforma política inclua a cota de gênero para que o Congresso Nacional e os parlamentos estaduais e municipais passem a contar com, pelo menos, 30% de mulheres na composição.

A deputada Dâmina Pereira e integrantes da bancada feminina do Congresso durante entrevista. -  Foto: Marcelo Camargo

Segundo a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), no ranking feito pela ONU Mulheres sobre a participação feminina na política em 188 nações, o Brasil ocupa a posição 158. “Nas Américas, só ganhamos do Haiti e de Belize. A cota não é inconstitucional. Ela vigora na maior parte dos países do mundo. O que queremos é pedir o apoio para uma causa da democracia brasileira. Temos que tirar o Brasil dessa posição vexatória. Só tem um caminho: dentro da reforma política, a gente tem que fazer o que outros países tiveram coragem de fazer”, disse a senadora.

A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, participou do ato. “Não é possível continuar convivendo com um sistema político que não reflita o protagonismo das mulheres na sociedade brasileira. Tem uma série de impedimentos para que as mulheres cheguem ao Poder Legislativo. Defendemos as cotas para as vagas das cadeiras nos parlamentos. O governo apoia a reforma política inclusiva, e as mulheres são prioridade nessa inclusão”, destacou a ministra.

Eleonora leu uma carta do Fórum Nacional de Organismos Governamentais de Políticas para as Mulheres de apoio à bancada feminina. Segundo o texto, as mulheres representam 52% do eleitorado, mas ocupam 10% das vagas na Câmara, 16% no Senado, 11% nas assembleias legislativas e 13% nas câmaras de vereadores.

A deputada Dâmina Pereira (PMN-MG), coordenadora da bancada feminina na Câmara, ressaltou que as parlamentares tiveram uma grande vitória ontem (20) quando o presidente da Casa, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), incluiu o tema da cota de gênero na votação em plenário da reforma política a partir de terça-feira (26). “Estamos fazendo essa mobilização para corrigir a desproporcionalidade que existe nas eleições. Queremos melhorar a disputa eleitoral que é muito desigual entre homens e mulheres”, disse a deputada.

21/05/15

Fonte: Agencia Brasil

7 comentários:

  1. Dâmina será a próxima prefeita de Lavras. podem escrever...rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Trocar os holofotes de Brasilia por uma prefeitura sem futuro, só se for muito burra.

      Excluir
  2. Emiliano Cerqueira22 de maio de 2015 08:33

    Muito legal isso aí. A Dâmina ta me surpreendendo. achava que ela seria uma mosca morta la na câmara mas ta ocupando seu espaço e tomando a frente de algumas coisas. Se for bem assessorada e tiver ambição vai longe.

    ResponderExcluir
  3. Prefeita é a Juju.

    ResponderExcluir
  4. Três nomes ja estao praticamente definidos: Silas, Jussara Menicucci e Zé Cherem. Resta saber se o CAP vai sair tbem ou lançar a Dâmina :-)

    ResponderExcluir