;

Header Ads

Conta de luz sobe, em média, 8,73% na próxima semana

conta de energia eletrica

Os consumidores devem se preparar para mais um aumento. A conta de luz vai subir, em média, 8,73% para os consumidores mineiros. A alta, aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), começa a valer a partir do dia 28. A decisão sobre o reajuste tarifário para os clientes da Cemig Distribuição S/A (Cemig-D) aconteceu durante reunião de diretoria realizada nesta terça-feira (21). A distribuidora fornece energia para 8,4 milhão de unidades consumidoras localizadas em 774 municípios mineiros, incluindo Lavras.

O reajuste médio para consumidores residenciais é de 6,93%. Entre os chamados consumidores cativos (que não participam do mercado livre), as médias são de 7,89% (baixa tensão) e 10,71% (alta tensão – indústrias).

Conforme a Aneel, ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, a agência considera a variação de custos associados à prestação do serviço. O cálculo leva em conta a aquisição e a transmissão de energia elétrica, bem como os encargos setoriais. O posicionamento é de que o reajuste da Cemig foi impactado pelo aumento dos custos de aquisição de energia, como, por exemplo, da Usina Hidrelétrica de Itaipu que é precificada em dólar.

A Cemig, por meio de sua assessoria, reforçou que, conforme a legislação do setor elétrico, a definição das tarifas das distribuidoras, bem como os processos de reajustes tarifários anuais e revisões, são gerenciados pelo órgão regulador e previstos nos contratos de distribuição. “O que mais influenciou a decisão da Aneel para esse aumento foi a escassez de chuvas do ano passado, quando as usinas termelétricas, que são mais caras para produzir energia, foram acionadas constantemente em quase todo o segundo semestre”, informou a empresa, por nota.

A Cemig informa, ainda, que investiu R$ 167,5 milhões no sistema elétrico mineiro nos três primeiros meses deste ano. Até o fim do ano, a previsão é de que os recursos para melhoria da rede elétrica em sua área de concessão superem R$ 1 bilhão. A promessa é de reflexos na qualidade e na segurança do serviço.

■ 22/05/19

Nenhum comentário