;

Header Ads

Lavras registrou saldo negativo de empregos em julho

Lavras registrou saldo negativo de empregos em julho

O mercado de trabalho formal em Lavras voltou a amargar números negativos no mês passado. De acordo com o Cadastro geral de Empregados e Desempregados, divulgado nesta sexta-feira (23) pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, em julho a cidade perdeu 43 vagas de trabalho formal.

O dado decorre de 750 admissões e 793 desligamentos no período. No mês de junho Lavras havia registrado saldo positivo, com a criação de 63 vagas.

De acordo com o Caged, os setores que mais perderam vagas em julho deste ano em Lavras foram a industria de transformação (- 46) e o comércio (- 28).

Já o melhor desempenho foi o do setor de serviços onde foram registradas 311 contratações contra 297 desligamentos, um saldo de 14 empregos.


Lavras registrou saldo negativo de empregos em julho




    Brasil


    Pelo quarto mês consecutivo, houve geração de emprego formal no país, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados hoje (23), pelo Ministério da Economia. Em julho, foi registrada a abertura de 43.820 vagas de trabalho com carteira assinada, crescimento de 0,11% em relação ao estoque de junho.

    O indicador mede a diferença entre contratações e demissões. O saldo positivo em julho deste ano foi resultado de 1.331.189 admissões contra 1.287.369 desligamentos. Em julho de 2018, o resultado foi melhor: com saldo positivo de 47.319.

    Nos sete meses do ano, foram criados 461.411 postos de trabalho (9.600.447 admissões e 9.139.036 desligamentos). Na comparação com o mesmo período de 2018, houve crescimento de 2,93%. O resultado de janeiro a julho deste ano é o melhor para o período desde 2014 (632.224).

    Dos oito setores econômicos, sete contrataram mais do que demitiram em julho. O saldo ficou positivo na construção civil (18.721), serviços ( 8.948), indústria de transformação (5.391), comércio (4.887), agropecuária (4.645), extrativa mineral (1.049) e serviços industriais de utilidade pública (494). Apenas administração pública descreveu saldo negativo (315).

    Resultados regionais

    Segundo o ministério, todas as regiões do Brasil tiveram crescimento no mercado formal de trabalho em julho. O maior saldo foi na Região Sudeste, com 23.851 vagas de emprego com carteira assinada, crescimento de 0,12%. Em seguida, vêm Centro-Oeste (9.940 postos, 0,30%); Norte (7.091 postos, 0,39%); Nordeste (2.582 postos, 0,04%) e Sul (356 postos, 0,00%).

    Das 27 unidades da federação, 20 terminaram julho com saldo positivo no emprego. A maior parte das vagas foi aberta em São Paulo, onde foram criados 20.204 postos de trabalho; Minas Gerais, com 10.609 novas vagas, e Mato Grosso, que teve saldo positivo de 4.169 postos.

    Nenhum comentário