;

Header Ads

Campanha Setembro Amarelo alerta sobre índices de suicídio

Campanha Setembro Amarelo alerta sobre índices de suicídio

Um total de seis pessoas tirou a própria vida em Lavras em 2019, até agosto. Em todo o ano passado, a cidade totalizou 11 suicídios. Os dados são da Superintendência Regional de Saúde de Varginha. O assunto ainda é considerado tabu e para tentar chamar a atenção para essa realidade hoje, 10 de setembro, é comemorado o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio por ano. Já no Brasil a OMS afirma que 32 brasileiros tiram a própria vida por dia, o equivalente a uma pessoa a cada 45 minutos.

Setembro Amarelo

A campanha nacional ocorre todo ano no mês de setembro, que é chamado de amarelo porque a cor representa a vida. O “Setembro Amarelo” foi iniciado em 2015, por meio de uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina e da Associação Brasileira de Psiquiatria.

Referência no Brasil, com unidades espalhadas por todo o país, CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio e conta atualmente com cerca de três mil voluntários, que atendem gratuitamente pelo telefone 188, todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias.

Em Minas

A diretora de Vigilância de Condições Crônicas da SES-MG, Janaina Passos de Paula, explica que, da mesma forma que ocorre mundialmente e no Brasil, em Minas Gerais observa-se um aumento dos números de registros de suicídio e das notificações das tentativas de suicídio.

“Em ambos os sexos, as notificações de lesões autoprovocadas estão concentradas na população de 15 a 59 anos e, em Minas Gerais, o número é maior entre as mulheres. Em 2018, foram registradas 9.633 tentativas de mulheres e 4.333 tentativas de homens. Já em 2019, até o momento, 2.558 tentativas de mulheres e 1.086 de homens foram registradas no estado”, explica Janaína Passos.

Já com relação à mortalidade por suicídio, diferentemente das notificações de lesões autoprovocadas, o sexo masculino apresenta o maior quantitativo de óbitos por esse agravo em Minas Gerais. Em 2018, foram 1.127 óbitos masculinos no estado e 307 óbitos femininos; em 2019, até o momento, foram 591 óbitos masculinos e 141 óbitos femininos.

Mitos

Ao se falar se suicídio, é preciso estabelecer que são mitos:
  • Quem fala não faz;
  • Tentativas não são para chamar atenção, não é “falta de Deus”, não é “falta de serviço”. É um sofrimento muito intenso. As pessoas não tentam a expectativa direta de tirar a própria vida, mas de acabar com este sofrimento;
  • Quem tenta uma vez sempre vai tentar novamente. Se a pessoa tiver o acompanhamento adequado, pode não repetir a iniciativa;
  • Só as pessoas com distúrbio/ sofrimento mental (sempre se fala em depressão) tentam se matar. Nem sempre. Também há de se considerar toda a história da pessoa, tudo o que ela vem acumulando por muito tempo. Um acontecimento pode ser a “gota d’água”.

Nenhum comentário