;

Header Ads

Treinamento de evacuação na Usina de Funil mobilizou mil moradores

Treinamento de evacuação na Usina de Funil mobilizou mil moradores

Foi realizado no último sábado, 26 de outubro, o exercício de simulado de evacuação previsto no Plano de Ação de Emergência (PAE) da Usina Hidrelétrica Engenheiro José Mendes Júnior, conhecida como Usina de Funil. No dia, cerca de 200 pessoas, entre voluntários e grupo de trabalho, mobilizaram mais de 950 moradores da Zona de Autosalvamento (ZAS). Foram instaladas 11 sirenes e a população se locomoveu para nove pontos de encontro.

Desde 2018, um grupo de trabalho vem realizando ações de cadastramento da população, definição pontos de encontros e instalação de placas indicativas das rotas. Cerca de 4 mil pessoas estavam cadastradas entre Lavras e Ribeirão Vermelho. O coordenador da UHE Funil, Willian Rosa, explica que o simulado é um momento muito importante na preparação de todo um grupo de trabalho, sobretudo para as instituições de proteção e defesa civil na prevenção, atendimento e resposta à emergência.

 “É fundamental este trabalho em conjunto, somando forças e experiências para que possamos estar preparados, com um planejamento alinhado entre todos os envolvidos e em beneficio da população. Tudo ocorreu dentro do planejado e foi bastante positiva a participação dos moradores”, ressalta Willian.

O exercício contou com a participação de representantes da Defesa Civil Estadual, Defesas Civis de Lavras e Ribeirão Vermelho, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, voluntários do Tiro de Guerra, prefeituras municipais, equipe Aliança Energia e a população localizada às margens do barramento.

Em março de 2019, a usina foi vistoriada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e classificada na categoria B, ou seja, com baixo risco, indicando que possui todas as condições de segurança necessárias para o seu funcionamento.

Sinal de alerta

No dia, um sinal sonoro de emergência tocou às 15h para a população de Ribeirão Vermelho e a comunidade de Niterói, em Lavras. Os moradores seguiram as sinalizações das rotas de fuga até chegar ao ponto de encontro mais próximo. Esse local foi definido previamente no PAE e é considerado um local seguro para permanência das pessoas caso exija a evacuação da área. Em seguida, os moradores foram recebidos nos pontos de encontro e responderam questionários para avaliar a ação e esclareceram dúvidas.

Nenhum comentário