;

Header Ads

Polícia Civil conclui investigação de assassinato em Boa Esperança

Polícia Civil conclui investigação de assassinato em Boa Esperança

A Polícia Civil de Minas Gerais, na cidade de Boa Esperança, concluiu na segunda-feira (30) o inquérito que investigou o homicídio de um jovem de 19 anos. Foram indiciados três homens, de 20, 24 e 27 anos.

Segundo as investigações, no dia 21 de março, por volta das 22h, na esquina entre as ruas Brigadeiro Eduardo Gomes e Mato Grosso, a vítima foi ferida fatalmente por cinco golpes de faca. No local, a namorada da vítima chegou a relatar que um dos suspeitos seria o filho dela, de 20 anos. Após entrevistas com pessoas presentes no momento do crime, policiais militares apuraram que o segundo envolvido, de 24 anos, seria primo do primeiro suspeito. Durante investigações, a Polícia Civil constatou a participação do terceiro suspeito, de 27 anos, que teria sido o responsável pela condução do veículo que levou os investigados ao local do crime, e que deu fuga a eles após o assassinato.

A Polícia Civil concluiu que o assassinato foi planejado, uma vez que a vítima mantinha, há cerca de um ano, relação amorosa com a mãe do suspeito, de 20 anos. Contudo, a companheira era ex-mulher de um presidiário da cidade de Boa Esperança, de modo que os filhos dela não aceitavam a relação, adotando a ideia de combate ao que chamam de “talaricagem” (repúdio a quem se relaciona com mulheres de presidiários).

Assim, no dia do crime, ao tomarem conhecimento de que a mãe e a vítima se encontrariam, os filhos dela iniciaram discussão, com a presença dos sobrinhos da mulher. Apesar da discussão, a mulher prosseguiu com o encontro, mas foi seguida pelos suspeitos, que se valeram de um automóvel para segui-la. Ao chegarem na quadra do Bairro Maringá e se depararem com a vítima, dois dos suspeitos desceram do veículo e a agrediram por cerca de três esquinas, desferindo socos, chutes e facadas. A vítima tentou fugir, mas não resistiu aos ferimentos, falecendo no local.

No curso das investigações, a Polícia Civil conseguiu apreender o veículo utilizado no crime, onde foram encontrados vestígios de sangue humano. Em interrogatório, dois dos suspeitos decidiram por ficarem em silêncio, enquanto o terceiro confirmou todos os fatos.

O inquérito policial contou ainda com provas como transcrições de áudios recebidos e enviados pelos envolvidos em redes sociais, e, ainda, vídeo com imagens do crime.

Os suspeitos foram indiciados por homicídio qualificado por motivo torpe, e o inquérito encaminhado ao Poder Judiciário para decisão pela prisão dos indiciados.

*Com informações da Ascom/PCMG

Nenhum comentário