Receita Federal destina celulares e equipamentos a UFLA

Smartphones serão usados por alunos nas atividades de ensino remoto 

Receita Federal destina celulares e equipamentos a UFLA
Imagem ilustrativa

A Receita Federal em Poços de Caldas entregará, na próxima quarta, 25 de novembro, às 9h,  100 Smartphones ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do sul de Minas - IFSULDEMINAS. A carga apreendida está avaliada em R$ 121.844,00. A doação será realizada no Depósito de Mercadorias Apreendidas da RF, à Rua Nico Duarte, 799, Vila Cruz. 

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) também será contemplada com celulares, fones de ouvido, kits de ferramentas, impressoras, lâmpadas de LED, relógios, caixas de som, tinta para impressora entre outros itens avaliados em R$ 77.358,90. 

Estarão presentes na solenidade o Delegado da Receita Federal em Varginha, auditor-fiscal Michel Lopes Teodoro; o chefe da Agência da Receita Federal em Poços de Caldas, analista tributário, Edgar Mollo Filho; o Reitor do IFSULDEMINAS, Prof. Marcelo Bregagnoli e o Pró-reitor de Infraestrutura e Logística da UFLA, Prof. Sandro Pereira da Silva. 

Segundo destacou o reitor do IFSULDEMINAS, professor Marcelo Bregagnoli, os equipamentos serão distribuídos entre os campi da instituição, sendo emprestados a estudantes que os usarão nas atividades de ensino remoto. “É mais uma ação importantíssima em que a sociedade é a maior beneficiada. Como órgãos federais, temos buscado dar o exemplo na otimização dos recursos e na boa gestão pública. Agradecemos mais uma vez à Receita Federal pela confiança e parceria”. 

No caso da UFLA, as mercadorias serão utilizados no projeto Biomecânica Aplicada à Reabilitação Humana-BEARH.  Ambos os projetos estão diretamente relacionados a ações de controle e combate à pandemia do Novo Coronavírus. 

“A destinação de mercadorias sob custódia visa alcançar, mais rapidamente, benefícios administrativos, econômicos e sociais, em especial agilizar o fluxo de saída e abreviar o tempo de sua permanência em depósitos, disponibilizando espaços para novas apreensões, diminuindo os custos de armazenagem e de controle, evitando a obsolescência e a depreciação dos bens”,  explicou o analista tributário Edir Simões Junior, responsável pela destinação. 


Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem