UFLA desenvolve máquina para descaracterização de cigarros contrabandeados

UFLA desenvolve máquina para descaracterização de cigarros contrabandeados

Com o intuito de viabilizar a descaracterização de cigarros contrabandeados apreendidos pela Receita Federal, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) desenvolveu uma máquina que realiza a separação de embalagens, tabaco e o filtro dos cigarros, com capacidade de separar o conteúdo de 1.161 maços de cigarro por hora.

O lançamento desse projeto acontece na sexta-feira, 06 de agosto de 2021, às 11 horas nas dependências da UFLA. 

Estarão presentes os representantes da Receita Federal: o Superintendente da Receita Federal em Minas Gerais, auditor-fiscal Mário José Dehon São Thiago Santiago; os Superintendentes Adjuntos da Receita Federal em Minas Gerais, auditores-fiscais Guilherme Henrique Diogo Ferreira e Orlando Soares dos Santos; o Delegado da Receita Federal no Sul de Minas auditor-fiscal Michel Lopes Teodoro e os representantes da UFLA: Prof. João Chrysostomo (Reitor), Prof. Sandro Pereira da Silva (Pró-Reitor de Infraestutura e Logística Acadêmica), Adeilson Carvalho (Diretor de Transportes e Conservação do Campus), Rodrigo Araujo Marques (Encarregado de Manutenção Elétrica). 

 

Em busca da sustentabilidade

Em 2020, os cigarros representaram cerca de 37% do total de itens apreendidos nas operações de fiscalização da Receita Federal. A partir de novembro de 2020, a Receita Federal iniciou em parceria com o IFSULDEMINAS e com a UFLA a destruição por descaracterização de 90 toneladas de tabaco, apreendidos em fábricas clandestinas de cigarros, transformando-as em adubo. A UFLA foi responsável pela descaracterização de 32 toneladas de tabaco até o momento.


"Estamos dando uma destinação sustentável aos cigarros, que são nocivos à saúde. Revertendo algo ruim em benefício da comunidade e do meio ambiente. E, ao mesmo tempo economizando recursos públicos, já que a parceria para descaracterização dos cigarros, não gera custos para a Receita Federal, além de fomentar os projetos sustentáveis da UFLA" explica o Delegado da Receita Federal do Sul de Minas, auditor-fiscal Michel Lopes Teodoro

A descaracterização dos cigarros dependia da separação dos componentes: embalagens, tabaco e filtro. Foi a partir disso, que a UFLA desenvolveu esse projeto e, além do aproveitamento do tabaco, também está realizando estudos para aproveitar os filtros, utilizando-os em compostos para fazer telhas e blocos por exemplo. Já os plásticos das embalagens serão enviados para a coleta seletiva para reaproveitamento. Dessa forma, o processo de descaracterização envolve os cursos de Engenharia Mecânica - que desenvolveu a máquina, Engenharia de materiais - que reutilizará os filtros e Engenharia Ambiental - que realizará o processo de compostagem.

Para o reitor da UFLA, Prof. João Chrysostomo: "A Universidade Federal de Lavras, vem desenvolvendo papel marcante no ensino, pesquisa e extensão. Projetos multidisciplinares como esse fomentam o ensino de qualidade no país. Cursos como o de engenharia mecânica, engenharia de materiais e engenharia ambiental contribuíram dentro de suas expertises no desenvolvimento da máquina de destruição de cigarros. Esse projeto ganhou o codinome de "Projeto Além do Horizonte" pois transcende barreiras e leva para a sociedade brasileira o resultado que se espera, revertendo um produto nocivo ao ser humano, em adubo e insumos para fabricação de telhas e blocos".  

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem