;

Header Ads

Presidente do TJMG descarta realização de concurso público e diz que a ordem é reduzir gastos

O presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador Pedro Bitencourt Marcondes descartou a hipótese de realização de concurso público para a contratação de novos servidores.

Presidente do TJMG, Pedro Carlos Bitencourt Marcondes

Durante entrevista coletiva após a inauguração do novo Fórum Melo Viana, em Uberaba, Marcondes foi questionado sobre a perspectiva de contratação ou nomeação de novos servidores. Segundo ele, o número de servidores em todo o estado não é pequeno e está acima de outros estados como o Rio de Janeiro.

“Para se ter ideia, Minas Gerais tem 6 milhões de processos em andamento, quase 16 mil servidores e, 1039 juízes. No Rio de Janeiro, por exemplo, aonde se concentra 11 milhões de processos, tem menos de 15 mil servidores e 300 juízes, e conseguem ter uma performance maior do que a nossa, em relação aos processos que entram e que os processos que saem. O que existe aqui e, o que precisamos, é relocar melhor os servidores que estão espalhados pelas comarcas. Na realidade, diante do quadro em que a arrecadação líquida do estado diminui e o país está em recessão, não temos hoje como abrir concurso ou nomear mais servidores. Por isso, essa hipótese à curto prazo, pelo menos, está descartado”, afirmou.

26/01/16

Nenhum comentário