PM prende ex-aluno que ateou fogo em mata no campus da UFLA

PM prende ex-aluno que ateou fogo em mata no campus da UFLA

Um homem de 24 anos foi preso nesta terça-feira (16), suspeito de ter colocado fogo em uma mata nativa no campus da Universidade Federal de Lavras (UFLA). A Polícia Militar de Meio Ambiente, juntamente com militares do 8º Batalhão e Corpo de Bombeiros Militar, foi chamada para combater um incêndio que ocorreu em uma área florestal dentro do campus universitário da UFLA.

Ao chegar ao local, uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar já estava lutando contra as chamas com a ajuda dos vigilantes da própria universidade. É importante ressaltar que o fogo havia se espalhado descontroladamente pelo sub-bosque da floresta, o que, de acordo com a Lei Estadual 20.922/2013, caracteriza-se como um incêndio florestal. Felizmente, o incêndio foi controlado por volta das 18:30 horas.

Um vigilante da universidade relatou que, durante sua ronda rotineira, testemunhou um ex-aluno da instituição ateando fogo na mata. Ele acompanhou o indivíduo visualmente e o abordou quando ele tentava deixar a área florestal.

A área afetada pelo incêndio está localizada inteiramente dentro do bioma da Mata Atlântica, e um total de 8.137 metros quadrados de árvores nativas foram queimados.

Diante dessa situação, o autor do incêndio foi preso em flagrante e levado para a Polícia Federal de Varginha, pois o local da infração está sob a jurisdição de uma autarquia federal. A prisão em flagrante foi confirmada pela autoridade policial competente devido à prática de crime ambiental, conforme estabelecido no artigo 41 da Lei Federal 9.605/1998 (provocar incêndio em mata ou floresta). A pena prevista para esse crime é de reclusão de dois a quatro anos, além da aplicação de multa administrativa.

O uso controlado do fogo só é permitido em áreas rurais mediante autorização prévia do órgão ambiental competente. Os incêndios comprometem significativamente a proteção da biodiversidade, afetam diretamente a flora e destroem o habitat da fauna local, além de causarem poluição atmosférica. Em áreas urbanas, há proibições estabelecidas em nível municipal, levando em consideração os impactos diretos e indiretos na sociedade local.

Esse incêndio criminoso na Universidade Federal de Lavras  serve como um alerta sobre a importância de preservar o meio ambiente e punir severamente aqueles que cometem crimes ambientais. A conscientização e ações de proteção são fundamentais para garantir a sustentabilidade e a preservação de nossos recursos naturais preciosos.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

نموذج الاتصال