NÚMERO DE MENDIGOS NAS RUAS DE LAVRAS AUMENTA A CADA DIA

Continua grande o número de moradores de rua em Lavras. A reportagem do jornal online O Lavrense conversou com alguns deles e descobriu que o perfil, em grande parte, é representado pela figura de imigrantes. Entretanto, também foram encontradas pessoas da própria cidade que preferem as ruas a morar com a família.

Alguns mendigos falaram que dentre os fatores que os motivam a ser andarilhos está o abandono da família, mas disseram que drogas e álcool são responsáveis por viverem nas ruas. Um deles apontou que a exclusão social e econômica é a grande vilã. Outros se tornaram mendigos profissionais e não querem largar a rua.

A reportagem descobriu que muitas cidades da região têm mandado estas pessoas para Lavras. Primeiro conversamos com um andarilho, muito agressivo e arredio, que estava na praça Augusto Silva. Perguntado de onde veio, afirmou: "da barriga da minha mãe, não gosto de dar informações, se você quiser sentar aqui e fazer um piquenique com a gente pode, mas sem perguntas porque vocês querem é aparecer em cima da gente." Perguntamos seu nome e disse se chamar "Ingrato", o que realmente deve ser, já que por muito tempo xingou a cidade e disse: "não suporto mais esta cidade, mas tenho de continuar aqui porque vou fazer uma cirurgia. Detesto isso aqui, mas estou esperando ser atendido para ir embora", mostrando cartão do SUS. Promete que depois disso que ir para Belo Horizonte.


Recuperar 

 "Eu sou do Rio de Janeiro e faço artesanato para poder me alimentar. Não nego que bebo e não agüento mais esta vida. Queria entrar em um centro de recuperação para parar, mas não estou conseguindo. Veio um pastor aqui e disse que viria me buscar, mas até hoje. Estou nesta vida desde os 15 anos, fui criado em orfanato e agora estou tentando chegar até o Espírito Santo, onde moram pessoas da minha família. Sou ser humano e ninguém leva nada. Eu fico quieto e não incomodo ninguém. Você desculpe o colega, que é muito agressivo, mas eu gosto de conversar e respeitar as pessoas", afirma Luiz Carlos da Silva, de 25 anos.


Ele disse que chegou a Lavras há 15 dias, vindo de Varginha e a assistência social de lá o colocou em um ônibus para Lavras e pagou a passagem. "Eles perguntam para onde queremos ir. Normalmente, pagam passagem para cidades próximas. Quando eu vim, a assistência social de Varginha mandou mais umas 8 pessoas".

No meio do grupo, Mateus Augusto de Oliveira, de 22 anos, afirmou que é de Lavras e fica na rua porque gosta. "Me acostumei, mas nos finais de semana fico em casa."

Casa de Transformação Betânia


Em Lavras, entidades como a Casa de Transformação Betânia, fundada em maio de 2000, prestam serviço ás comunidades carentes e mantêm núcleos de prevenção, com o objetivo de promover a recuperação, transformação e a reinserção social de pessoas dependentes de drogas e álcool. A sede localiza-se na zona rural, próximo á comunidade do Funil.

A instituição conta hoje com vagas para 24 internos do sexo masculino, sendo que nosso objetivo é ampliar este número de vagas. O período de internação é de aproximadamente 9 meses, onde é trabalhada a transformação espiritual, física e psíquica, agindo através de terapias espirituais e ocupacionais.

Mais informações pelo telefone (35) 3826 5656 ou 8824 3805.
Postagem Anterior Próxima Postagem