Jovem mata sogra, ex-namorada, sequestra o filho e comete suicídio

Transtornado com o fim do relacionamento há um ano, Jhonatan Henrique Ribeiro, 24 anos, assassinou a tiros a ex-sogra e também a ex-namorada, de apenas 17 anos. Depois do duplo homicídio ele cometeu suicídio. O crime aconteceu na manhã desta terça-feira (1º), no distrito de São Sebastião de Estrela, conhecido como “Onça”, em Santo Antônio do Amparo.

De acordo com o informações da Polícia Militar, Jhonatan é morador de Perdões, que fica a pouco mais de 30 quilômetros de Onça. Armado com um revólver calibre 38, o jovem foi até a casa da ex-sogra, Rosa Aparecida de Carvalho, 35 anos, e atirou na cabeça da vítima. No local, ele ainda pegou o filho de um ano e oito meses, entrou no carro e seguiu para a escola onde a ex-companheira estudava.

Com a criança ainda dentro do carro, Jhonatan abordou Laiane Aparecida de Carvalho e efetuou dois disparos contra ela: um na cabeça e outro no abdômen. A jovem chegou a ser socorrida com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu antes de dar entrada no hospital. Depois, o criminoso seguiu até o sítio do pai, na zona rural da região, onde deixou a criança e fugiu para casa, em Perdões.

Vizinhos de Rosa acionaram a polícia e, de posse da descrição do suspeito, localizaram Jhonatan. Quando a polícia chegou no local, o jovem começou a disparar contra os militares. Um negociador do município foi chamado e tentou, durante uma hora e meia, acalmar o homem. Mas ele não se rendeu e, ao sair da residência com a arma em punho, atirou contra a própria cabeça. Ele chegou a ser socorrido para o Centro de Terapia Intensiva (CTI) de Perdões e depois transferido para o hospital Vaz Monteiro, em Lavras, mas não resistiu.

Uma equipe do Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) chegou a ser acionado, mas o jovem se matou antes do grupo entrar em ação.

A polícia está apurando o caso e não descartou a possibilidade de Jhonatan ser usuário de drogas. A polícia também apura a procedência do revólver de calibre .38, utilizado para cometer os crimes e que estava com a numeração raspada. Familiares das vítimas não quiseram gravar entrevistas, mas disseram que Jhonatan era uma pessoa agressiva e que Laiane já havia prestado queixa de ameaças.

01/03/11
Postagem Anterior Próxima Postagem