;

Header Ads

Usina de Funil realiza treinamento de evacuação às margens do Rio Grande

Usina de Funil realiza treinamento de evacuação às margens do Rio Grande

No próximo dia 26 de outubro, a população localizada às margens do Rio Grande, nos municípios de Lavras e Ribeirão Vermelho, participará do exercício de simulado previsto no Plano de Ação de Emergência (PAE) da usina hidrelétrica Engenheiro José Mendes Júnior, mais conhecida como Usina de Funil.

O treinamento tem como objetivo testar o sistema de alerta instalado pela Aliança Energia na Zona de Autossalvamento (ZAS), capacitar as defesas civis e equipes de socorro e orientar a população rural em caso de incidentes com a barragem da usina, instalada no Rio Grande, na região sul de Minas Gerais, entre os municípios de Perdões e Lavras.

O exercício envolverá representantes da Defesa Civil Estadual, das Defesas Civis de Lavras e Ribeirão Vermelho, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, prefeituras municipais, equipe da Aliança Energia e a população localizada às margens do barramento.

O treinamento ocorre em caráter preventivo atendendo a legislação vigente - Política de Proteção e Defesa Civil (Lei 12.608/2012), Política Nacional de Segurança de Barragens (Lei 12.334/2010) regulamentada pela resolução ANEEL 696/2015. De acordo com o coordenador da UHE Funil, Willian Rosa, o simulado é uma etapa importante na preparação de todo o grupo de trabalho, sobretudo para as instituições de proteção e defesa civil na prevenção, atendimento e resposta à emergência, além de cumprir as exigências legais. “Ele servirá para testar o sistema de alerta (sirene), a sinalização das rotas de fuga e pontos de encontro das Zonas de Autossalvamento e também para que todos saibam como agir no caso de alguma situação adversa”, explica.

Preparativos

Em dezembro de 2017, foi protocolado junto às coordenadorias municipais de Defesa Civis de Lavras e Ribeirão Vermelho o Plano de Ação de Emergência - PAE da Hidrelétrica Funil. Desde 2018, o grupo de trabalho vem realizando diversas ações como: cadastramento da população (cerca de 4 mil pessoas) localizadas nas ZAS da usina; definição dos nove pontos de encontro e rotas de fuga na região; instalação de placas indicativas das rotas de fuga e 11 estações remotas do sistema de alerta; reuniões de trabalho e de esclarecimento com todos os envolvidos. “É muito importante este trabalho em conjunto, somando forças e experiências, para que possamos estar preparados, com um planejamento alinhado entre todos os envolvidos e em benefício da população”, avalia Willian.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que vistoriou a Usina de Funil em março de 2019, classifica a barragem da Hidrelétrica na categoria de risco B, caracterizada como baixo risco, indicando que possui todas as condições de segurança necessárias para seu funcionamento.

Dinâmica do exercício simulado

Às 15 horas do dia 26 de outubro, um sinal sonoro de emergência vai ser acionado e a população do município de Ribeirão Vermelho e a comunidade de Niterói, em Lavras, deverão seguir a sinalização das rotas de fuga (trajeto a ser seguido no caso de uma emergência que exija evacuação da área) e ir para o ponto de encontro mais próximo (local seguro para permanência de pessoas) já definidos previamente no PAE (Plano de Ação de Emergência). Em seguida, os moradores serão recepcionados nos pontos de encontro e responderão questionários para que a ação seja avaliada, podendo também esclarecer eventuais dúvidas sobre o simulado.

Nenhum comentário