;

Header Ads

Prefeitura de Lavras nega superfaturamento em compra de materiais

Prefeitura de Lavras nega superfaturamento em compra de materiais

A Prefeitura de Lavras negou nesta quarta-feira (6) superfaturamento nas compras relacionadas às ações de combate ao coronavírus no município. A informação é uma resposta às denúncias que levantaram suspeitas de irregularidades em compras emergenciais, feitas sem licitação.

Em nota, a Prefeitura informou que os equipamentos de proteção individual (máscaras, capotes, luvas e máscaras acrílicas), estão em falta no mercado nacional e internacional. As máscaras necessitam ser de tripla camada para proteção adequada dos profissionais de saúde, os capotes impermeáveis, as máscaras acrílicas de material capaz de ser higienizado com álcool 70%.

Conforme a administração municipal, a projeção de gastos somente com máscaras para os profissionais de saúde está estimada em torno de 20 a 40 mil unidades por mês, a depender da contaminação do COVID-19 em Lavras.

De acordo com a assessoria do prefeito José Cherem (PSD),  as informações divulgadas em "um blog da cidade"  dizem que a prefeitura teria gasto, frente ao contrato 047/2020, o valor de R$ 1.092.218,00, quando na realidade, foram efetivamente pagos R$ 144.720,00.

A nota diz ainda que ao afirmar que "uma pesquisa rápida na internet encontraria tais produtos" as noticias publicadas no blog "confrontariam com o cenário atual e com a verdadeira situação do país" e acabam "alimentando os seus devaneios e contaminado com mais ódio e angústia uma sociedade que busca dias melhores".


Leia, abaixo, na íntegra, a nota divulgada pela Prefeitura de Lavras:

O Governo de Lavras vem por meio desta, em resposta a publicação realizada em blog da cidade, fazer esclarecimentos à população, com a finalidade de trazer aos lavrenses informações verídicas e transparentes, o que tem sido feito em outras oportunidades diante de publicações inverídicas.
Lavras como inúmeras cidades do Brasil, tem empreendido esforços para enfrentamento da epidemia de COVID-19, com intuito de preservar vidas e oportunizar tratamento digno a todos os lavrenses e cidadãos de outros municípios que, por ventura, necessitarem de assistência médica hospitalar neste momento tão singular.
Sabidamente dois pontos principais tem sido alvo de interesse em saúde pública, os respiradores mecânicos e os equipamentos de proteção individual (máscaras, capotes, luvas e máscaras acrílicas), ambos, estão em falta no mercado nacional e internacional, as máscaras necessitam ser de tripla camada para proteção adequada dos profissionais de saúde, os capotes impermeáveis, as máscaras acrílicas de material capaz de ser higienizado com álcool 70%.
A projeção de gastos somente com máscaras para os profissionais de saúde está estimada em torno de 20 a 40 mil unidades por mês, a depender da contaminação do COVID-19 em nosso município.
As informações divulgadas em um blog da cidade retratam, falaciosamente, que foram gastos frente ao contrato 047/2020 o valor de R$ 1.092.218,00, quando na realidade, foram efetivamente pagos R$ 144.720,00, um erro grosseiro de mais de R$ 947.498,00, não sendo a primeira vez que distorce os fatos relacionadas a epidemia.
Relata, ainda, que em uma pesquisa rápida na internet encontraria tais produtos, outra inverdade, quando bastaria digitar falta de equipamentos de proteção médico-hospitalares em um site de buscas que encontraria centenas de citações que o confrontariam com o cenário atual e com a verdadeira situação do país, todavia, preferiu omitir tais informações, alimentando os seus devaneios e contaminado com mais ódio e angústia uma sociedade que busca dias melhores.
Aproveitamos a oportunidade para ressaltar que dia 08/05/2020 (sexta próxima) será realizada sessão pública de processo licitatório, para compra de EPIs, na sede da Prefeitura de Lavras, para que seja cumprida a obrigação com nossos valorosos profissionais da saúde, nossa linha de frente, e com toda nossa população.

*Diretoria de Comunicação Social – Governo Municipal de Lavras


Nenhum comentário