;

Header Ads

Federal de Lavras firma acordo para modernizar sistemas de investigação do MPF

Parceria prevê transferência de tecnologia e conhecimento, ferramentas de georreferenciamento e inteligência artificial

Federal de Lavras firma acordo para modernizar sistemas de investigação do MPF

O Ministério Público Federal (MPF) firmou acordo com a Universidade Federal de Lavras (Ufla) com o objetivo de modernizar as ferramentas tecnológicas utilizadas em apoio às investigações. A Ufla é referência no uso de tecnologias de coleta, análise e processamento de dados geográficos. 

O acordo prevê a transferência de tecnologia e conhecimento ao MPF, além do desenvolvimento de ferramentas de inteligência artificial e georreferenciamento que serão incorporadas a sistemas geridos pela Secretaria de Perícia, Pesquisa e Análise (Sppea) da Procuradoria-Geral da República (PGR).

O acordo foi firmado digitalmente, na última segunda-feira (31), pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, e o reitor da Ufla, João Chrysóstomo de Resende Júnior. A parceria prevê o investimento de R$ 4,4 milhões no desenvolvimento do Projeto de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Aplicados à Modernização Tecnológica do Ministério Público Federal. Entre as ações previstas estão a capacitação de servidores do MPF no uso e desenvolvimento de novas tecnologias, criação de novos sistemas e aprimoramento das ferramentas já existentes.


"O projeto está alinhado com o Planejamento Estratégico Institucional do MPF para o decênio 2011/2020. É uma proposta de atuação integrada, que vai possibilitar a evolução contínua de processos e soluções tecnológicas, agregando valor à atuação institucional”, explica o secretário da Sppea, Pablo Barreto
.

 A parceria tem duração de um ano, podendo ser prorrogada.

Como fruto do acordo, será desenvolvido o sistema Radar Socioambiental, que vai utilizar informações georreferenciadas para integrar diversas fontes de informações disponíveis em outros bancos de dados da Sppea. A plataforma vai subsidiar investigações e tomadas de decisões em processos relacionados à questão ambiental e combate à criminalidade, além de informar ao público externo as diversas frentes de atuação do MPF.

A partir de ferramentas de georreferenciamento, a ideia é que o sistema traga um mapa topográfico – com informações de fenômenos geográficos da superfície terrestre – e um mapa temático, com dados geoeconômicos – de densidade populacional e renda per capita, por exemplo – simbolizados por cores. Esse tipo de sistema traz mais agilidade às investigações, possibilitando cruzamentos automáticos de dados e geração de relatórios que podem ser usados no controle do desmatamento, queimadas, mineração, rodovias, monitoramento de barragens, populações indígenas e comunidades tradicionais, entre outras finalidades.

Segundo Pablo Barreto, a ideia é que a plataforma também ajude a visualizar dados de crimes, incidentes de tráfego, densidade de populações, habitações, endemias e epidemias. "Esta forma de representação é muito útil quando se dispõe de grandes volumes de dados, dando rápida visão dos pontos de concentração, auxiliando na elaboração e gestão dos recursos utilizados para mitigar determinado evento analisado”, explica o secretário da Sppea.

Novas funcionalidades 

 Outra ferramenta que será desenvolvida a partir do acordo com a Ufla será o Sistema de Investigação em Dados Telemáticos, que vai garantir o recebimento, processamento e análise de provas obtidas a partir de quebras de sigilo autorizadas pela Justiça relativas a informações armazenadas em e-mails, entre outras. Com esse sistema, pretende-se realizar o registro, documentação, validação, geração de código de segurança e transmissão criptografada de dados digitais de provedores para os órgãos de investigação, garantindo a autenticidade, integridade e confidencialidade das informações.

A parceria com a universidade prevê, ainda, a modernização do Sistema de Investigação de Movimentações Bancárias (Simba) bem como o desenvolvimento de softwares com uso de inteligência artificial aplicada para serem incorporados em sistemas geridos pela Sppea. Outra previsão na parceria com a Ufla será a estruturação do núcleo de inovação em ciência de dados aplicada à investigação, que prevê a capacitação de membros e servidores do MPF no desenvolvimento e padronização de metodologias e técnicas específicas para a realização de projetos de geotecnologia, análise geoespacial e ciência de dados. 

A instituição de ensino também deverá alocar uma equipe multidisciplinar para o desenvolvimento de pesquisas tecnológicas, com o intuito de atender demandas de interesse da Sppea.

Nenhum comentário