Lavras sedia seminário sobre Cachaça de Alambique

A Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) lança o V Seminário Mineiro de Cachaça de Alambique. O evento acontece em Lavras, entre 21 e 23 de setembro, de forma concomitante com o I Simpósio Brasileiro de Cachaça de Alambique (I SBCA).

Os eventos são promovidos em uma parceria da Universidade Federal de Lavras (UFLA) com a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

Lavras sedia seminário sobre Cachaça de Alambique
Foto: Diego Vargas / Seapa - Divulgação

Em torno do tema “Cachaça, 500 anos de história: um legado de uma matriz complexa, envolvendo equilíbrio entre cultura e pesquisa”, as atividades são presenciais e ocorrem no Parque Tecnológico da UFLA. Toda a cadeia produtiva e de valor do destilado está convidada a participar. As inscrições vão até o dia 21 de setembro, por meio deste link.

Nela, estão incluídos minicursos com temas como legislação, manejo da cana-de-açúcar, preparo e harmonização de blends, análise sensorial e selo de indicação geográfica, dentre outros, além de conferências sobre comercialização e divulgação da cachaça, armazenamento e envelhecimento da bebida, mesas redondas, momentos para negócios e mais.


A diretora de Comercialização e Mercados da Seapa, Jaqueline de Fátima Santos, explica que a junção dos eventos tem como objetivo agregar conhecimentos e pessoas.


 “A Universidade Federal de Lavras trabalha com cachaça há muitos anos e trazer os produtores para a academia é importante para que eles sejam apresentados a novas tecnologias e assuntos da atualidade. O formato presencial proporcionará maior interação entre quem produz, pesquisadores, alunos e aqueles que já são referência no setor”, afirma  Jaqueline Santos.


 


Cachaça em Minas


Conforme os dados do Anuário da Cachaça 2021, publicado pelo Ministério da Agricultura em 2022, a cada três municípios que produzem da bebida no país, um é mineiro. O estado é o principal produtor nacional de cachaça de alambique, com mais de 350 cachaçarias e cerca de 2,2 mil marcas.

A cidade brasileira com o maior número de estabelecimentos produtores é Salinas, no Norte de Minas, somando 16. Já Córrego Fundo, na região Sudoeste do estado, ostenta o título de maior densidade cachaceira municipal no Brasil, com 643 habitantes para cada empreendimento de cachaça.

De janeiro a julho de 2023, as exportações da cachaça de Minas somaram receita de US$ 1,2 milhão e 221 toneladas embarcadas, o que representa um crescimento de 5,5% no valor e 12,9% no volume, em comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Mdic). Os principais compradores do destilado mineiro no intervalo foram Uruguai, Itália e Estados Unidos.


Confira aqui a programação completa

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

نموذج الاتصال