Jardim sensorial de Lavras é o primeiro do Estado

Como parte da política municipal de inclusão do portador de necessidades especiais, a população de Lavras acaba de receber uma obra inédita no Estado: o jardim sensorial. Inaugurado no último dia 25, o espaço destina-se a experiências sensoriais através do tato, olfato e audição, para quem tem deficiência visual, e dos outros sentidos, a depender do perfil do observador.

A idéia de criá-lo, segundo a prefeita Jussara Menicucci, deveu-se à constatação de que no município, com 90 mil habitantes, havia um considerável número de pessoas excluídas em decorrência de limitações visual ou física.


No jardim (foto), com 450 metros quadrados, estão distribuídas cerca de 45 espécies de plantas, entre leguminosas, temperos verdes, folhagens, gramas e flores, que vão poder ser tocadas, cheiradas e degustadas. Placas escritas em braile permitem que as pessoas com problemas de visão possam identificá-las, atribuindo-lhe ainda uma função educativa. No centro, uma cascatinha intensifica o deleite dos sentidos.

Aplicação

Como o jardim foi pensado para vencer todas as barreiras visuais, informativas e de circulação, ele também é adaptado para o acesso de cadeirantes. Inclusive, os canteiros das plantas foi cuidadosamente estruturado numa altura que facilita aos usuários de cadeiras de roda a terem, igualmente, suas experiências sensoriais.

"O jardim foi um ganho muito grande como área de lazer, cultural e pedagógica", enfatiza Richard Odeon Gouvea, o Chinha, portador de necessidades especiais.

Outra indicação é como auxílio nos tratamentos fisioterapêuticos, no caso de pacientes temporariamente incapacitados por acidentes, cirurgias, traumas psicológicos ou com problemas neurológicos e psicomotores.

A obra custou R$ 40 mil aos cofres municipais. O jardim sensorial fica na SELT, no centro da cidade, em uma área poliesportiva de uso da comunidade.
Postagem Anterior Próxima Postagem