Marcos Cherem contesta argumentação de Silas e afirma que deixou contas em dia

O ex-prefeito de Lavras, Marcos Cherem, contestou nesta quinta-feira (1), as declarações do atual prefeito, Silas Costa Pereira, de que o aumento excessivo nos gastos com o pagamento da folha salarial do funcionalismo municipal tenha sido motivado pelo Plano de Cargos e Salários instituído durante sua gestão em 2014.

Cherem contesta argumentação do atual prefeito e afirma que reduziu dívida da prefeitura em 18 milhões.

Ao contestar as argumentações de Silas, Marcos Cherem afirma que o impacto financeiro gerado pela implementação do novo Plano de Cargos e Vencimentos dos servidores, “foi cuidadosamente calculado”, levando-se em conta os artigos 16 e 17 da Lei de Responsabilidade Fiscal, inclusive com previsão de sua instituição, no plano plurianual e na lei de diretrizes orçamentárias. “O Plano de Cargos e Salários era um compromisso da nossa campanha de 2012, que foi cumprido.”, afirma Cherem.

Em nota enviada à redação de O Lavrense, ex-prefeito afirma ainda que, ao iniciar o mandato em 2013, encontrou a prefeitura falida, com uma dívida de mais de 80 milhões de reais e na iminência de de ter suspenso o fornecimento de água, luz, telefone, alimentação escolar, remédios e insumos diversos. Naquela ocasião, segundo Cherem, o funcionalismo municipal estava com três meses salário e 13º atrasados.

Ou seja, sendo verdadeiras as afirmações do atual gestor (não há planilhas detalhadas atuais nem no Legislativo Municipal), reduziu-se a dívida de 80 milhões de reais do final de 2012 para 62 milhões de reais em setembro de 2014, uma diminuição de 18 milhões de reais em menos de 20 meses”, declarou.

Ainda segundo Marcos Cherem, em seu governo nunca houve atraso de pagamento de servidores municipais e todo o passivo salarial e previdenciário, herdados das administrações passadas, foi colocado em dia.

Leia abaixo, na íntegra, a nota divulgada pelo ex-prefeito Marcos Cherem:


Nota de Esclarecimento


A respeito de declarações do atual prefeito de Lavras, que tenta justificar o atraso de pagamentos aos servidores e fornecedores da Prefeitura Municipal de Lavras como sendo motivados por “dívidas de 62 milhões de reais deixadas por administrações passadas” e mais recentemente pelo Plano de Cargos e Salários instituído em 2014, venho informar a população, o seguinte:


Não se pode esquecer que em 2012 o atual prefeito participava ativamente do governo municipal, inclusive como Secretário de Planejamento nomeado em 2011, tendo ainda sido candidato apoiado ex-prefeita e co-responsável pela elaboração do Orçamento Municipal de 2013.


Já em 2013 ao iniciarmos o mandato concedido pelo voto, encontramos uma prefeitura falida, com ameaça de cortes de água, luz, telefone, alimentação escolar, remédios, insumos diversos e mais de 80 milhões de reais em dívidas, salários de 3 meses e 13º atrasados. Implantou-se imediatamente um gerenciamento rigoroso dos recursos para sanar esses problemas.


A planilha com as dívidas e atrasos encontrados encontra-se detalhada, para que não haja dúvidas. É a mesma planilha apresentada na Câmara Municipal e debatida com os vereadores especialmente no primeiro semestre de 2013.


Ou seja, sendo verdadeiras as afirmações do atual gestor (não há planilhas detalhadas atuais nem no Legislativo Municipal), reduziu-se a dívida de 80 milhões de reais do final de 2012 para 62 milhões de reais em setembro de 2014, uma diminuição de 18 milhões de reais em menos de 20 meses.

Lembramos ainda que nunca atrasamos o pagamento da folha de servidores e colocamos todo o passivo salarial e previdenciário em dia, além de termos investido com recursos próprios do município em várias e diferentes áreas.


Já sobre o atual Plano de Cargos e Salários, era um compromisso da nossa campanha de 2012, que foi cumprido. Para isso, foi nomeada uma Comissão formada exclusivamente por servidores efetivos, sendo que representaram o Poder Executivo os funcionários Jarbas Novaes do Baixo (Administrador) e Richelmy Rian (Secretaria de Administração), além da Secretária Cristiane Vitorino, com suporte jurídico da Dra. Marília Della Lúcia Gomes (Procuradora do Município), que juntamente com membros do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Edmar de Souza, Marcelo Antônio de Souza, Keila Cristina dos Santos, Euisles Rodrigues da Silva) trabalharam longamente para chegar ao projeto final, mais de um ano após iniciados os trabalhos, inclusive com realização de audiência pública perante a Câmara de Vereadores.


Os servidores que representavam o Executivo (Jarbas, Richelmy e Marília) tiveram sua competência e capacidade reconhecidos mesmo pelo atual prefeito, que os nomeou para cargos comissionados na atual gestão, assim como havia ocorrido na gestão encerrada em 2012.


Já o impacto financeiro para implementação do novo Plano de Cargos e Vencimentos dos servidores, foi cuidadosamente calculado, estudado e apresentado em várias reuniões, observando os artigos 16 e 17 da Lei de Responsabilidade Fiscal, inclusive com previsão de sua instituição, no plano plurianual e na lei de diretrizes orçamentárias.


O Projeto de Lei de nossa iniciativa, após vários debates, foi aprovado em duas votações ocorridas em julho de 2014, sendo convertido em Lei. Essa Lei foi complementada por outra norma, de autoria do atual prefeito e sua equipe, onde foi detalhado o enquadramento de cada servidor municipal e os valores salariais a serem recebidos atualmente.

Essa é a verdade.

Atenciosamente,

Marcos Cherem
01/10/2015
Postagem Anterior Próxima Postagem